domingo, 31 de outubro de 2010

Liga Orangina:Estoril 0-0 Varzim

O Estoril cedeu este domingo os primeiros pontos caseiros da temporada ao empatar a zero frente ao Varzim, novo "lanterna vermelha", em jogo da 6.ª jornada da Liga Orangina. Depois dos triunfos frente a Sporting da Covilhã e Penafiel, os "canarinhos" falharam a tentativa de se isolarem no segundo lugar, repartindo agora esta posição com Arouca, Feirense, Leixões e Moreirense, relegando os poveiros, sem qualquer vitória na prova, para a última posição, descolando do Freamunde. Sem o técnico Vinicius Eutrópio no banco, devido a castigo, o Estoril tentou sentenciar a partida na primeira parte mas o que sobrou em vontade faltou em precisão. Apesar das tentativas, Alex Afonso, Luciano Bebé e João Coimbra nunca acertaram no alvo, numa altura em que os ensaios da resposta poveira, inconsistentes e aos repelões, nem chegaram a assustar Cléber. Tiago Terroso, aos 55 minutos, e Salvador, aos 64, obrigaram o guarda-redes "canarinho" a intervir, com remates de fora da área, enquanto o Estoril dominava, mas sem eficácia. Com os avançados Paulo Sérgio e Alex Afonso praticamente anulados pela defensiva do Varzim, o setor mais afinado da formação de Eduardo Esteves, Jefferson e Anderson Luís assumiram a responsabilidade de "disparar" à baliza, para duas defesas de Ricardo. Nos últimos minutos, o suplente Tony Taylor, após jogada individual, e Jefferson, num livre direto, tentaram, sem sucesso, quebrar o nulo.
Estoril: Cléber, Anderson Luís, Luiz Alberto, Lameirão, Jefferson, João Coimbra, Luciano Bebé, Vinicius Reche (Luís Leal, 87'), Tiago Costa (Steven Vitória, 76'), Alex Afonso e Paulo Sérgio (Tony Taylor, 75').
Varzim: Ricardo, Caetano, Neto, Pedro Santos, Hugo Costa, André Carvalho, Salvador (Gonçalo, 90'), Ruben Saldanha, Tiago Terroso, Tiago Carneiro (Dédé, 80') e Rafael (Tito Silva, 63'). Árbitro: Hugo Pacheco (Porto). Acção disciplinar: cartão amarelo para Hugo Costa (19'), Luciano Bebé (33'), Caetano (37'), Vinicius Reche (45'), Neto (47'), Luiz Alberto (65'), André Carvalho (69'), Jefferson (70') e Tiago Terroso (90'+3).
In GD Estoril Praia (Blogue Parceiro)

Beira-Mar derrota Naval


O Beira-Mar somou a 2ª vitória na Liga Zon Sagres, após derrotar, de forma inteiramente justa, a Naval, numa partida com duas partes distintas: Na 1ª, os aveirenses dominaram as operações. Na 2ª, sofreram com a reacção da Naval e com algum desleixo próprio... mas o mais importante foi conseguido: O 2.º triunfo no campeonato e logo frente a um adversário directo na luta pela manutenção!

Leonardo Jardim fez algumas alterações no onze titular (relativamente ao jogo vs Paços): Entraram André Marques e Djamal, saíram Yohan (ate aqui tudo previsível) e Rui Sampaio (meia-surpresa).

Rui Rego; P. Moreira, Kanu, Hugo, André Marques, Djamal e João Luiz (no miolo) Artur na direita, Renan sobre a esquerda, Ronny e Tatu na frente, com este último a descair para a esquerda do ataque.

O jogo começou morno, ritmo baixo, longe das duas balizas. 1º remate digno desse nome pertenceu a Fábio Júnior (Naval), aos 9 mins. Nos 15' iniciais, o Beira-Mar denotou alguma dificuldade para chegar à baliza de Salin. 1ª jogada de grande perigo só aconteceu aos 20' por Ronny. Logo a seguir... surge o penalty: Camora derruba Ronny dentro da área. Artur inaugurou o marcador.
Embalado pelo golo... o Beira-Mar arranca para o seu melhor período no jogo. Passou a dominar por completo as operações a meio-campo. Ao invés... a Naval parecia perdida e demasiado frágil para as exigências da Liga Zon Sagres. 32' - Tatu falha de forma incrível... uma oportunidade de baliza aberta, após passe de João Luiz (marcação rápida de um livre). O avançado brasileiro redimiu-se do falhanço, aos 39': Jogada de contra-ataque, Artur desmarca Leandro Tatu... este isola-se... remata num primeiro momento à figura de Salin mas na recarga amplia a vantagem dos locais.
Ao intervalo, a vantagem dos auri-negros era justa. Melhor equipa em campo, exibição agradável, em especial após o 1.º golo.

2ª parte... foi muito diferente. Talvez pela 1ª metade ter termiando com domínio flagrante do Beira-Mar... os comandados de Leornardo Jardim começaram a relaxar demasiado cedo. Foram lentamente permitindo que a Naval entrasse na discussão do jogo e a lesão de Ande Marques também não ajudou. Ao intervalo... Entraram Yohan para lateral esquerdo e Marinho (Naval) para extremo-direito... e o avançado começou a desequilibrar a contenda a favor dos forasteiros.
O golo da Naval surge aos 59'. Tudo começa numa perda de bola (infantil) de Djamal.... a Naval ganha um canto. Na cobrança deste Godinho acerta na barra... confusão nas imediações da baliza de Rui Rego... e o esférico sobra para Bolívia, que reduz a desvantagem.
Se antes o jogo estava controlado... passou a ser muito complicado para os aveirenses. 62' - Marinho quase empatava. A Naval sobe de produção enquanto o Beira-Mar sentia o golo.
A entrada de Sampaio aos 69' para o lugar de Artur ajudou a establizar a equipa mas os últimos minutos da partida foram de emoção e incerteza no marcador. A Naval teve alguns lances de perigo mas foi Wilson Eduardo, entrou aos 80', que mexeu com o jogo (2 lances de perigo antes do golo 82' e 86').
Aos 90', Kanu complica as coisas e é expulso - acumulação de amarelos - por demora na marcação de uma falta. Como reza o ditado: Tudo está bem quando acaba bem... - Já nos descontos o Beira-Mar chega ao 3.º golo por intermédio de Wilson Eduardo numa jogada de contra-ataque. Alívio no EMA... os 3 pontos estavam garantidos!

A vitória assenta bem ao Beira-Mar. Não obstante o sofrimento da 2ª parte... foi superior à Naval no cômputo geral da partida. Os índices de eficácia/finalização subiram e contribuíram, de forma decisiva, para o 2.º triunfo auri-negro na prova. A Naval vai ter muitas dificuldades para se manter na Liga Zon Sagres. A defesa é muito frágil e expõe-se em demasia (veja-se o 2.º golo do Beira-Mar).
In Mais Beira-Mar (Blogue Parceiro)

Liga Orangina:Leixões 2-1 Penafiel

O Leixões ascendeu hoje provisoriamente ao grupo dos segundos classificados da Liga Orangina, ao receber e bater o Penafiel por 2-1. Os de Matosinhos foram para o intervalo a perder mas operaram a reviravolta no 2.ª tempo.
O brasileiro Kanu abriu o marcador para o Penafiel aos 27 minutos com um grande pontapé de fora da área, ao ângulo superior esquerdo.
Na 2.ª parte, Oliveira, aos 54 minutos, na marcação de uma grande penalidade polémica, e Tiago Cintra, aos 75', de cabeça, após um canto, selaram o triunfo dos comandados de Augusto Inácio.
Com este triunfo, apenas o 2.º na prova, o Leixões passou a contar 9 pontos, os mesmos de Feirense, que joga domingo com o líder Gil Vicente (11 pontos), e Moreirense, que visita no mesmo dia o Freamunde.
O Penafiel mantém os 8 pontos e é 6.º classificado.
In Leixões SC (Blogue Parceiro)

Académica 0-1 FC Porto: Fotos


De baixo de um enorme temporal e de um relvado ensopado, o FC Porto derrotou em Coimbra a Académica com um golo solitário de Silvestre Varela ainda no primeiro tempo.
Veja estas e outras fotos no nosso site parceiro: Fotos Da Curva

sábado, 30 de outubro de 2010

Liga Espanhola:9ªJornada

Real Madrid e Barcelona não desarmam na luta pela liderança, por enquanto quem leva a melhor é o Real Madrid que somou mais uma vitória, em casa do Hercules por 1-3 com dois golos a serem apontados por Cristiano Ronaldo, por sua vez, o Barcelona goleou no Camp Nou o Sevilha por claros 5-0 com bis de Messi e David Villa e ainda um golo de Daniel Alves no espectáculo dado pelos «blaugrana».
O Real Madrid começou da pior forma a partida, ao sofrer um golo logo aos 3 minutos por Trezeguet que deixava em sentido a equipa treinada por José Mourinho que teve que ir atrás do resultado para o revirar.
Tal reviravolta só apareceu no segundo tempo, o primeiro dos três golos dos «merengues» foi apontado pelo ex-jogador do Benfica Angel Di Maria, na recarga de um remate de Ronaldo, o argentino empatou a partida.
Já nos últimos dez minutos, o Real Madrid chegou à vantagem através de Ronado outra vez na recarga a um remate, agora executado por Benzema.
Benzema e Ronaldo voltaram a fazer a dupla perfeita que confirmou a vitória ao lider espanhol, o francês isolou o internacional por Portugal que de primeira finalizou para o 1-3 final.
Um Barcelona de luxo destroçou o Sevilha com uma goleada, foram cinco os golos apontados pelos catalães.
Tudo começou com um golo de Messi logo nos minutos iniciais, era o inicio de mais uma noite de gala vivida em Camp Nou que 20 minutos depois, aos 24 aumentou a vantagem através de David Villa.
Na segunda parte, mais um golo para a equipa da casa, a ser apontado por Daniel Alves e um quarto de hora após Lionel Messi fez o quarto golo.
Para terminar a festa, David Villa à semelhança de Messi bisou na partida e sendo assim continua a persseguição ao Real Madrid e apenas um ponto os separa a tão pouco tempo do seu confronto que acontecerá a 28 de Novembro, um dos jogos mais aguardados das ligas europeias.

Rio Ave 2-0 SC Braga

Noite de temporal em Vila do Conde, com o Rio Ave, ultimo classificado, recebia o Braga e procurava a primeira vitória no campeonato, já os minhotos procuravam a primeira vitória fora.

O jogo foi interessante, as duas equipas lutavam pela vitória apesar do tempo estar impróprio para a practica do futebol. Moisés falhou uma grande oportunidade e Yazalde atirou ao poste. Até que aos 27 minutos, acontece um lance que foi determinante para o resto do jogo, um lance entre Yazalde e Moisés, que o arbitro marca grande penalidade e expulsa o defesa do Braga. Um penalty duvidoso, mas Felipe fez justiça com as mãos ao defender o penalty.

Ao intervalo o resultado era justo, com o Rio Ave a ter um penalty falhado.

Na segunda parte e com menos uma unidade, a equipa ficou condicionada e o Rio Ave partiu para cima do Braga, mas Felipe estava em noite sim e foi adiando o golo do Rio Ave, que chegou ao minuto 72. Se já estaca dificil, mais complicado ficou. Elderson ainda falhou a oportunidade de empatar, ao atirar ao poste, e na sequência deste lance João Tomás marcou e colocou um ponto final no jogo.

No final, vitória justa do Rio Ave, que soube aproveitar a vantagem numérica em campo, mas fica a ideia de que a expulsão foi determinante. A outra ideia que fica é que Domingos poderia ter lançado outros jogadores neste jogo e que a alguns titulares o banco não lhes fazia mal.

Premier League:10ª Jornada

Continua o campeonato inglês que à décima jornada mantém o Chelsea na liderança, após uma vitória dificil no terreno do Blackburn por 1-2, o Manchester United e o Arsenal também não cederam pontos com vitórias sobre Tottenham e West Ham respectivamente.
Começamos pelos «blues», a equipa de Carlo Ancelotti deslocou-se ao Ewood Park para defrontar o lanterna vermelha da Premier League, o Blackburn num jogo que se tornou dificil com o golo da equipa da casa, apontado Benjani com 22 minutos do primeiro tempo decorridos, ainda assim Anelka restabeleceu a igualdade a cinco minutos do intervalo.
Sem portugueses a alinhar na formação londrina, o Chelsea passou por mais dificuldades na segunda parte e após muita luta, o defesa Ivanovic iria confirmar a reviravolta no marcador já nos minutos finais da partida, dando os três pontos e mantendo a liderança no campeonato.
Mas quem não ficou para trás foi o Arsenal que também de forma muito sofrida ultrapassou o West Ham, os «gunners» apenas se colocaram na frente do marcador aos 88 minutos com golo apontado de cabeça por Song que assim põe os arsenalista na mesma com 5 pontos de desvantagem para o líder da prova.

Em Old Trafford quem voltou a brilhar foi Nani, que marcou mais um golo, desta feita um golo bastante polémico num lance esquisito.
Até lá, Vidic já tinha colocado os «red devills» na frente após a cobrança de um livre de Nani, o sérvio fez o 1-0.
E para sentenciar a partida, Nani foi autor de um golo bastante polémico, o jogador português é constantemente agarrado na área, o árbitro não assinala penalty, mas o extremo luso agarra a bola, Gomes não se apercebe que o árbitro não marca falta a Nani e adianta a bola para marcar o livre que não foi assinalado e Nani aproveita e finaliza fácil, um golo que certamente vai dar que falar...

O Manchester City foi surpreendido na casa do Wolverhampton ao perder com os «wolves» por 2-1, os «citizens» até estiveram em vantagem com um penalty convertado por Emanuel Adebayor, mas os visitados souberam dar a volta ao marcador e triunfaram com golos de Milijas e Edwards.

O Everton derrotou o Stoke City por 1-0 e o Fulham derrotou o Wigan por 2-0.
Amanhã destaque para a partida entre o Bolton e o Liverpool no Reebok Stadium.

José Mota vai ser treinador do Belenenses

José Mota vai treinar o Belenenses. O acordo foi alcançado ontem à noite, e ja foi oficializado através de um comunicado. «A Administração da SAD do Belenenses informa que, às 22 horas, chegou a acordo com o treinador José Mota para orientar a equipa profissional de futebol», pode ler-se.
José Mota estava sem trabalho, depois de sair do Leixões a época passada e substitui Rui Gregório no comando dos azuis do Restelo.
Apesar de ainda não estar agendada a sua apresentação, José Mota já falou à Belenenses. «O que podem esperar de mim é dedicação e ambição. Dedicação porque é essa a minha forma de trabalhar, vou estar no Restelo de corpo e alma. Ambição porque apesar do momento delicado que o clube atravessa temos que ter ambição e entrar em todos os campos para ganhar. A história do Belenenses foi construída com base nas vitórias e eu, com a ajuda e apoio de todos, jogadores, SAD, sócios e adeptos prometo que tudo farei para que a equipa tenha sempre um forte desejo e ambição de vencer», prometeu o novo treinador, em declarações ao site oficial do clube. Sem dedicação, o apoio a esta causa não resultará. Tenham confiança e sejam o décimo segundo jogador em todos os estádios onde jogarmos, havendo união, dentro e fora do campo as vitórias vão aparecer.»

Benfica soma 5ª vitória consecutiva

O Benfica somou a quinta vitória consecutiva na Liga Zon Sagres, ao derrotar por 2-0 no Estádio da Luz, o Paços de Ferreira, com golos a serem apontados por Pablo Aimar e por Alan Kardec, este na marcação de uma grande penalidade.
Mais uma jornada, mais uma tentativa de aproximação encarnada ao lider até agora invencivel FC Porto e portanto a equipa de Jorge Jesus não tinha margem de erro, tinha de ganhar.
Aimar, com um golo fantástico inaugurou o marcador colocando o Benfica em vantagem no marcador logo aos 14 minutos, um momento de génio, fazendo lembrar Diego Armando Maradona que celebra 50 anos de vida.
O Paços foi em busca da igualdade e só não a conseguiu, graças a uma série de boas intervenções do guarda-redes Roberto que defendeu tudo o que foi na direcção das redes encarnadas.
Na segunda parte, foram os "castores" que voltaram a criar perigo, através de um remate rasteiro de Mario Rondon que obrigou mais uma vez Roberto a uma excelente defesa.
Mas o Benfica viria a resolver o jogo com um penalty cometido sobre Fábio Coentrão, que Alan Kardec converteu em golo, consolidando o triunfo encarnado.
Jorge Jesus com um resultado favorável de dois golos, optou por poupar jogadores amarelados que estavam em risco de não jogar no Dragão na próxima jornada, assim Luisão e Javi Garcia deram lugar a Sidnei e Airton respectivamente.
A poucos minutos do final da partida, os visitantes passaram a jogar com dez, Baiano foi expulso após dois cartões em apenas 6 minutos.
Com isto, o Benfica controlou o jogo até final e cumpriu os objectivos de ganhar, não sofrer golos e ainda evitar alguma perda por suspensão para o clássico que se avizinha.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Liga ZON Sagres: Análise da jornada 8


LÍDER AO SABOR DO INCRÍVEL GÉNIO DE HULK

Hulk, Abel e Javi García. Têm pouco em comum. São jogadores diferentes, têm tarefas incomparáveis e jogam nos três grandes portugueses. É muito mais aquilo que os separa do que o que os une. Vivem com estados de alma completamente distintos. Mas têm em comum a importância manifestada nas suas equipas. O FC Porto destroçou o União de Leiria, recuperou a caminhada de vitórias no campeonato, marcou como nunca antes e elevou a qualidade exibicional. Teve Hulk em destaque. Benfica e Sporting venceram Portimonense e Rio Ave, por esta ordem, suando, lutando e merecendo. Sobressaíram, na ausência de pontaria dos atacantes, Abel e Javi García. Pouco prováveis para decidir. Tal como no Sp.Braga-Olhanese, onde apareceu Jardel, pé-descalço, herói e vilão.

Hulk. O brasileiro tem um potencial enorme, está numa forma brutal, corre como nunca, ganhou confiança, acredita nas suas capacidades, tem sucesso no que faz, canaliza a sua acção para a equipa e abre um sorriso de orelha a orelha. É o maior impulsionador do FC Porto, carrega o dragão e fá-lo vibrar. O União de Leiria sentiu a arrancada fulgurante, incisiva e vigorosa, da equipa portista: dez minutos, uma bola no poste, uma defesa de Gottardi e, à terceira, um golo. De Hulk. O segundo chegou cinco minutos depois. Com rasgo, dinâmica e brilho. Este FC Porto entra forte, lança-se ao pescoço do adversário e vai cimentando a sua condição até poder relaxar e gerir esforços. Os leirienses nunca incomodaram Helton, apenas chegaram ao golo numa grande penalidade cometida por Fernando, já Varela e Falcao haviam aumentado a lista azul, revelaram-se muito tenrinhos e viram El Tigre, no final, completar a mão cheia de golos.

Javi García. O médio espanhol funcionou, na temporada anterior, como um verdadeiro relógio do meio-campo benfiquista: equilibrava, sentia as pulsações da equipa, abria o ataque e fazia, com Ramires, de elo de ligação entre a equipa. Nesta temporada, como muitos outros, está menos exuberante. Em Portimão, frente a uma equipa aguerrida, bem preparada e voluntariosa, o Benfica encontrou dificuldades no início, sim, mas, a partir do momento em que se conseguiu soltar das marcações algarvias, encontrou espaço, criou perigo, sempre através de lances de bola parada, levando Ventura a agigantar-se. Rondou a baliza, teve bolas de golo e foi pressionante. Não desatou o nulo até ao intervalo. Apenas no recomeço. Por Javi García. O espanhol ganhou espaço, apareceu bem para receber o cruzamento de Carlos Martins e cabeceou certeiro. O Benfica não encantou, mas venceu com mérito. Era imperativo.

Abel. Não é um jogador de primeira linha do Sporting. Nem tem, tão pouco, sido muito utilizado. Em compensação, exaltando o profissionalismo, dá tudo o que tem. Pode ser, por exemplo, a imagem do leão: com debilidades, sem encantar, mas com solidariedade, com vontade e garra para fazer melhor. Por vezes não corre bem. A este Sporting essa diferença tem sido demasiado evidente. A equipa é capaz do bom e do mau, oscila com uma facilidade inquietante, revela-se demasiado intermitente para quem sustenta ambições de chegar alto. A certa altura, também, parece que está amaldiçoada: Paulo Santos opôs-se bem às investidas e os ferros, por três vezes, negaram o golo. O leão abala, desespera e puxa pelos cabelos. No final, já com o fantasma de um novo desaire em casa, Abel, num pontapé cruzado, deu a vitória, fez soltar a adrenalina e mantém a perseguição do Sporting. Estava no sítio certo à hora certa e foi herói.

Jardel. Apelido conhecido, de craque, que nos remete para outros tempos. Este Jardel, sem nenhuma relação com Super Mário, joga como defesa-central e representa, nesta época, o Olhanense. Em Braga, no minuto sessenta e três, travou um lance de golo iminente, arrojou-se ao relvado e foi providencial. Só que ficou sem chuteira. Pé descalço. Os minhotos tiveram a sua chance: livre indirecto, oportunidade única para desfazer as dúvidas e ganhar conforto. Lima, na conversão, marcou. Fez o seu segundo golo, juntou-o a um de Mossoró, dezoito minutos depois do empate, para alagar a vantagem sobre o tento inaugural de Maurício. O Sp.Braga foi feliz, assentou e tranquilizou-se. Deixou para trás uma primeira parte má, sem dinâmica ou chama, onde sofrera um golo e nunca se conseguira soltar-se. Cresceu com a entrada de Vandinho, mostrou vontade de mudar, insistiu e conseguiu-o com Lima. Mesmo passando por pé descalço.

Oito jogos, catorze pontos e terceiro golo: sensação, confirmação de valor e capacidade para se superiorizar demonstrada pela Académica. Os estudantes venceram o Nacional, por 2-1, conseguindo permanecer num lugar de destaque. Num plano inverso, o Marítimo, representante europeu e assumidamente candidato a ficar nas primeiras cinco posições no final do campeonato, somou, à oitava tentativa, a sua primeira vitória - em casa, por 1-0, ante a Naval -, deixando o Rio Ave (única equipa sem triunfos) e os figueirenses nos lugares de despromoção. Nuelo de Vitórias, o de Setúbal, confirmando o arranque auspicioso, bateu o de Guimarães, no Bonfim, por 2-1, colocando-se nos doze pontos - com Olhanense e Sporting pelo meio. Logo atrás, com menos um ponto conquistado, encontram-se Paços de Ferreira (empatou, a um, frente ao Beira-Mar) e União de Leiria.

Fluminense desmente Felipe


O Fluminense desmentiu hoje as noticias que davam conta de um interesse e de um pré-acordo com Felipe, guarda-redes do SC Braga.

«O Fluminense não conversou com ninguém sobre o Felipe. Não teve nada, nem conversado. Não vamos iludir os adeptos nem criar polémica», disse Alcides Antunes, vice-presidente do clube brasileiro.

Segundo o dirigente a notícia que surgiu, inicialmente, no jornal Folha de São Paulo, é pura especulação: «O Fluminense tem investido muito nos últimos anos. Por isso, aparece muita gente em nome da equipa para, depois, trazer a negociação para nós. Lançam coisas na imprensa para criar um movimento, mas não pensamos em nenhuma contratação», conclui.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Morreu Paul

Uma noticia que vai alegrar os tachos, mas que entristece os adeptos do futebol.
Uma das figuras do Mundial, a par da vuvuzela e de Larissa Riquelme, o polvo Paul morreu hoje.
Conhecido por ter adivinhado todos os vencedores dos jogos da Alemanha e da final do Mundial, o polvo Paul, depois do Mundial, foi cobiçado por vários aquários, mas permaneceu na Alemanha. O polvo tinha 3 anos, idade já avançada para os polvos

RIP Paul.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Sorteio da 4ª eliminatória da Taça de Portugal

Resultado do sorteio da 4ª eliminatória da Taça de Portugal:

Sp. Espinho (II)-Leixões (LH)
Portimonense-V. Guimarães
Olhanense-Nacional
Juv. Évora (II)-Santa Maria(III)
Pinhalnovense (II)-Tirsense(II)
Mondinense (III)-Torreense (II)
Benfica-Sp. Braga
Sporting-P. Ferreira
Beira Mar-Académica
Moreirense (LH)-F.C. Porto
Merelinense (II)-Carregado (II)
Varzim/Cova da Piedade/Gondomar-Ribeirão
Rio Ave-Feirense
Atlético-Tourizense
Bombarralense/Louletano-União
Marítimo-V. Setúbal

Sp. COVILHÃ 0 - FEIRENSE 3

homens da casa sem argumentos

O Feirense venceu por 3-0 o Sporting da Covilhã na primeira derrota em casa dos serranos na Liga Orangina.

Numa partida em que o Sporting da Covilhã não mostrou argumentos para fazer melhor, a equipa da Feira apontou os dois primeiros golos na primeira parte, por Roberto e Thiago. No segundo tempo Roberto bisou.

A primeira ameaça surgiu por intermédio de André Fontes, que atirou a rasar o poste, aos seis minutos. Pouco depois foi Roberto a cabecear ao lado, por duas vezes.

À terceira, quando estavam jogados 15 minutos, Roberto inaugurou o marcador, ao dar a melhor resposta a um bom trabalho de Gonçalo Abreu que, em contra-ataque, levou a bola à linha final e cruzou para o coração da área serrana.

As únicas situações de perigo criadas pelo Sporting da Covilhã surgiram por Vasco Varão e Dani, no único período em que os "leões da serra" conseguiram afastar a pressão forasteira.

Aos 36 minutos, Thiago, sem oposição, rematou à vontade na área, para defesa apertada de Igor. Três minutos depois Thiago, na sequência de um canto, marcado por André Fontes, ampliou a vantagem, de cabeça.

No regresso dos balneários o jogo tornou-se morno, com o Feirense a defender o resultado, menos atrevido no ataque, e o Sporting da Covilhã sem conseguir afirmar-se no meio campo adversário.

Quando nada o fazia prever os visitantes dilataram o marcador, novamente de bola parada, por Roberto, que bisou. A única resposta serrana foi dada por Hélder Rodrigues, sem engenho para ultrapassar o guarda-redes adversário.

Já em cima dos 90 minutos Diogo Cunha tentou o chapéu a Igor e, instantes depois, numa jogada individual, obrigou o guardião serrano a desviar com a ponta dos dedos a bola da baliza.


Sporting da Covilhã: Igor Araújo, Ivo Pinto, Nuno Gomes, Wagnão, Milton, Dani (Moia, 45`), Paulico (Hélder Rodrigues, 26`), Vasco Varão (Kovacevic, 45`), Samson, Rincón e Fofana.


Feirense: Paulo Lopes, Marco Cadete (Galhano, 77`), Luciano, Nuno Henrique, Serginho, Thiago, Bamba, Alexandre Ludovic (Diogo Cunha, 65`), André Fontes, Gonçalo Abreu (Carlos Fonseca, 42`), Roberto.


Árbitro: Luís Catita (Évora).

Acção disciplinar: Cartão amarelo a Bamba (23`).

Assistência: Cerca de 730 espetadores


http://clubedesportivofeirense.blogspot.com/

Paços de Ferreira 1-1 Beira-Mar

Paços não conseguiu aproveitar o factor casa e vencer o Beira Mar.

A primeira parte foi jogada a um ritmo lento e com poucos lances de interesse. Apenas Pizzi parecia querer dar algo mais ao jogo. O Paços dominava o jogo, mas quando a bola chegava ao ataque, nunca dava em nada. O expoente maximo do desperdicio era Nelson Oliveira. O avançado agarrou-se demasiado à bola, era lento a passar (quando passava!) e os seus remates nao levaram perigo nenhum à baliza adversária.

Do lado aveirense eram os ex-pacenses Ronny e Tatu quem criava mais perigo. No entanto também eles eram inconsequentes.

O marasmo foi quebrado ja depois da meia hora, com um fantastico remate de Leonel Olimpio que obrigou Rui Rego a defesa muito apertada.

Ja todos contavam com o empate ao intervalo, quando di Paula solicitou a entrada de Baiano, que remata e bate o guardião do Beira Mar. A justiça chegava ao marcador e com ela o intervalo.

Pouco depois do arranque Nelson Oliveira esteve mais uma vez em destaque pela negativa... Di Paula estava em excelente posição para rematar, mas o avançado portugues tirou-lhe "o pão da boca" estragando a jogada.

A pouco e pouco os visitantes foram crescendo e começaram a criar mais perigo. E materializaram mesmo em golo, quando aos 73 minutos num falhanço defensivo pacense, Tatu aproveitou para empatar. Primeiro Baiano nao consegue fazer o corte, depois Cohene que quis controlar a jogada acabou por perder a bola de forma infantil para Wilson Eduardo, que depois so teve que assitir para Tatu fazer o 1-1.

É preciso Rui Vitória rever este tipo de lances. Na Taça da Liga contra o Leixões aconteceu o mesmo. Quando pressionados, os nossos defesas nao aliviam e colocam a propria baliza em risco.

O golo veio em péssima altura, uma vez que o treinador pacense tinha retirado à um minuto Pizzi e di Paula de campo. A entrada de Filipe Anunciação acabou por ser um erro. Presumo que inicialmente a ideia fosse segurar o impeto dos adversários. Mas com o empate o Paços viu-se obrigado a procurar novamente o golo, e sentiu-se muito a falta de um medio creativo no meio campo. Filipe nao esta ainda no topo da sau forma e o meio campo ressentiu-se disso. A entrada de Rondon e depois de Amond também pouco ou nenhuns efeitos teve, uma vez que a equipa, em particular Jorginho deu um tiro no pé. O defesa perdeu a bola de forma ridicula para Tatu que seguia isolado para a baliza. O 14 do Paços foi obrigado a fazer falta e acabou expulso.

Ate final, foi o Paços quem mais procurou a vitória mesmo estando em inferioridade. Mas o resultado nao se haveria de alterar.

O Paços atingiu os 11 pontos. Na proxima ronda os castores deslocam-se ao terreno do Benfica.


http://castores1950.blogspot.com/

Marítimo 1-0 Naval

Uma questão de eficácia na primeira vitória dos madeirenses


Uma semana depois do encontro para a Taça, Marítimo e Naval estiveram de novo frente a frente, agora nos Barreiros. Voltaram a levar melhor os madeirenses, desta vez a somar os primeiros três pontos na Liga (1-0). A Naval esteve bem, teve oportunidades de marcar, mas não conseguiu. Os locais não jogaram por aí além, mas desta vez foram eficazes. Mas não se livraram de apuros, com Kanú expulso aos 79 minutos e Marcelo a evitar o empate em cima do apito.
Dois conjuntos com uma grande necessidade de vencer, Marítimo e Naval acusaram, e muito, a obrigação de somar pontos. A grande maioria da primeira parte foi mal jogada e sem lances de perigo. Só a partir do minuto 40 é que o público presente nos Barreiros viveu alguns momentos de emoção. E foram os visitantes que surgiram então mais afoitos. Após uma boa assistência de Camora, Hugo Machado remata forte mas a bola desvia num defesa local, perdendo-se uma boa situação. Na resposta, Tchô de frente para Salin tentou o remate de primeira, mas este saiu muito torto.


FICHA DE JOGO

A melhor ocasião de golo pertenceu aos pupilos de Rogério Gonçalves, que aos 43 minutos viram Camora isolar Edivaldo. Este rematou para defesa de Marcelo, quando podia e devia fazer bem melhor. Já em tempo de descontos, Baba cabeceou com muito perigo após um bom cruzamento de Luciano Amaral na esquerda e viu Salin desviar para canto com o pé. Ainda se gritou golo nas bancadas do «Caldeirão», mas era ilusão.
Pedro Martins lançou Djalma ao intervalo, retirando o apagado Tchô. Mas essa mudança pouco ou nada alterou no recomeço. Foi a Naval que esteve mais perto de marcar: aos 51 minutos, Alex Hauw rematou muito forte para defesa de Marcelo em grande voo.
O técnico dos locais apostou no ataque, retirando Rafael Miranda e colocando em campo Danilo Dias, que deu logo que falar. Aos 63m, num bom trabalho individual, cruzou sem que Kléber ou Baba surgissem para rematar.
Dando continuidade à sua pressão, e após a saída do lesionado Orestes, os verde-rubros chegaram ao golo por Roberge ao minuto 71, após um bom cabeceamento de Baba que bateu na barra. A defesa da Figueira da Foz não conseguiu aliviar bem e o central, oportuno, rematou com o pé esquerdo e desfez a igualdade.
A turma da casa viu a sua vida complicar-se aos 79 minutos, quando Rui Costa expulsou com vermelho directo Kanú, após uma entrada mais dura do brasileiro sobre João Pedro.
Mas os visitantes, com mais um jogador, não conseguiram chegar à igualdade. Rogério Gonçalves continua sem vencer e viu-se ultrapassado na classificação pelo Marítimo que, na «era Pedro Martins», obteve o primeiro triunfo na Liga, depois de já ter ganho também na Taça de Portugal. Fábio Júnior ainda teve o empate nos pés, mas Marcelo levou a melhor.

http://onavalista.blogspot.com/

domingo, 24 de outubro de 2010

SC Braga 3-1 Olhanense

Depois da histórica vitória do Braga para a Champions, os Gverreiros voltavam ao AXA para o campeonato, defrontando uma das sensações da Liga.

A primeira parte foi muito fraca, o Braga falhava muitos passes, apesar de estar sempre perto da baliza de Moretto. Mas o Olhanense tinha a lição bem estuda, conseguia travar o Braga e até chegou ao golo, por Mauricio, de cabeça a aproveitar a desatenção da equipa bracarense. Ao intervalo, a vantagem algarvia permiava a forma como o Olhanense conseguia parar o Braga.

Mas na segunda parte tudo mudou. O Braga entrou determinado a dar a volta ao marcador e voltou-se a ver o super-braga. Mossoró empatou, numa bela jogada, Lima marcou com a ajuda de Moretto e o 3ºgolo nasce de um lance caricato, o jogador algarvio corta a bola com o pé descalço, visto que tinha a chuteira na mão. Com 3-1 o Braga controlou o jogo e não pasou por mais susto nenhum. Podia até ter marcado mais 2, mas Silvio e Salino falharam.

No final resultado justo pelo que a equipa fez na segunda parte, mas pesado para o Ohanense, que soube segurar o Braga na primeira parte.

sábado, 23 de outubro de 2010

Paços e Beira-Mar empatam

O Beira-Mar somou o 5.º empate na Liga Zon Sagres (em 8 jogos) e conseguiu marcar o 1.º golo fora para o campeonato. Resultado justo, numa partida equilibrada, de fraca qualidade, muito disputada a meio-campo e com pouca inspiração de ambas as equipas.
Leonardo Jardim fez alinhar a equipa provável (face aos condicionalismos existentes): Rui Rego, Pedro Moreira, Kanu, Hugo, Renan, Yohan (trinco), Rui Sampaio, Artur, João Luiz, Tatu e Ronny.
A partida começou em toada de equilíbrio, muita luta no centro do terreno mas poucos lances de perigo junto das duas balizas. Na 1ª parte, o Paços atacou para a baliza onde estávamos situados. Gostámos das movimentações de Nelson Oliveira e da inteligência de André Leão.
O Beira-Mar em termos colectivos apresentou-se num plano razoável, foi controlando as operações em termos defensivos mas teve dificuldades para chegar à baliza contrária. Ainda assim, dois lances a registar: 28', Yohan lança Artur na esquerda, este cruza para Ronny... que é apanhado em posição irregular. 39' - a melhor jogada do Beira-Mar na 1ª parte: Combinação Ronny»Joao Luiz... mas o médio em boa posição atirou ao lado.
Alguma emoção nos minutos finais do 1.º tempo: Remate de Leonel Olímpio e na resposta... cabeçada de Kanu por cima da barra.
E quando já todos pensávamos no intervalo... surge o balde de água fria. 44' - Perda de bola em zona proibida (pareceu-nos de Yohan - que até fez um bom jogo) aproveitada por Di Paula que abre na direita para Baiano... este livre de marcação... atira a contar.
Castigo imerecido para os aveirenses. O resultado certo ao intervalo era o nulo, considerando a fraca produção de ambas as equipas.

2ª parte. O Paços começou melhor. Mais seguro e sereno, enquanto o Beira-Mar sentia as mesmas dificuldades da 1ª metade para chegar à baliza contrária. "Custou a pegar mas foi..." 55' Remate de Ronny para defesa de Cássio. 65' Que oportunidade perdida... cruzamento de Renan sobre a esquerda... Tatu surge sozinho ao 2.º poste mas... atira ao lado... com a baliza aberta! Desespero na bancada... foi mesmo à nossa frente!
Logo a seguir, Leonardo Jardim mexe: Dupla substituição » saíram Rui Sampaio e Ronny, entraram Wilson Eduardo e Rui Varela. O Beira-Mar passou a jogar em 4-3-3. Yohan, João Luiz e Artur no meio-campo e no ataque Tatu (direita), Wilson (esquerda) e Rui Varela como ponta-de-lança.
E o golo do empate não tardou: Wilson Eduardo sobre a esquerda aproveita duplo erro da defesa pacense (1.º Baiano e depois Cohene - na linha de fundo) assiste Leandro Tatu que desta vez com a baliza escancarada restabeleceu a igualdade. Justiça no marcador para alivio dos adeptos auri-negros.
Aos 81', expulsão de Jorginho por agarrar Tatu quando este se dirigia para a baliza de Cássio. Decisão acertada de Hélder Malheiro que no entanto protagonizou arbitragem fraquinha. Apitou em demasia (talvez para se defender). Sérgio Oliveira entrou já em cima dos 90' para o lugar de Artur.

Em suma: Resultado certo. Nenhuma das equipas merecia vencer numa partida em que houve mais transpiração do que inspiração. O Beira-Mar demonstrou, uma vez mais, boa organização e uma atitude competitiva muito interessante. Falta melhorar no último terço do terreno.
In Mais Beira-Mar (blogue parceiro)

Liga Orangina:Belenenses 0-0 Leixões

Belenenses e Leixões foram hoje incapazes de desfazer o nulo, em jogo da 5.ª jornada da Liga de Honra, num Estádio do Restelo muito despido de público.
No segundo tempo, cenário igual com os avançados das duas equipas a mostrarem-se incapazes de desfeitear as defesas adversárias.
Destaque apenas para o Belenenses que aos 48 minutos respondeu na mesma moeda ao lance que quase permitiu ao Leixões inaugurar o marcador, através de um remate desta vez intencional de Miguel Rosa, que o guardião visitante desviou para a barra.
A entrada de Eder no ataque da equipa de Matosinhos para o lugar de Félix trouxe alguma animação ao encontro e o avançado obrigou o guarda-redes Riça a duas boas intervenções, mas o resultado manteve-se inalterado até ao apito final do árbitro setubalense João Ferreira.
O equilíbrio que se registou no encontro reflete-se na classificação das duas equipas, com o Leixões em 9.º lugar e o Belenenses em 10.º com os mesmos 6 pontos.
In Leixões SC (blogue parceiro)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Totobola


Em mais uma semana de grandes jogos, pedimos aos nossos caríssimos leitores que palpitem sobre o resultado desses mesmos jogos:

Académica x Nacional

Paços de Ferreira x Beira-Mar

V.Setúbal x V.Guimarães

Sp.Braga x Olhanense

Maritimo x Naval

Sporting x Rio Ave

Portimonense x Benfica

FC Porto x União Leiria

Penafiel x Trofense

Fátima x Estoril Praia

Moreirense x Santa Clara

Belenenses x Leixões

Sp.Covilhã x Feirense

Real Madrid x Racing Santander

Cagliari x Inter Milão

Manchester City x Arsenal

Bons palpites!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Benfica complica cada vez mais o apuramento para a próxima fase

http://3.bp.blogspot.com/_IFpOjVWQ5h8/TEX4N088DqI/AAAAAAAAC4A/AfCA2bcdbYM/s1600/MF+1.jpg 

O Sport Lisboa e Benfica perdeu hoje, diante do Lyon por duas bolas a zero e complicou cada vez mais as contas para o apuramento para a próxima fase da Liga dos Campeões. O Benfica em três jogos, tem apenas uma vitória, e têm quatro golos sofridos e dois golos marcados, assim, o Benfica é obrigado a vencer os próximos três jogos.

O Benfica entrou para este jogo em terceiro lugar com menos três pontos que o Lyon. Adivinhava-se que o jogo ia ser bastante complicado para o Benfica, pois embora a péssima classificação do Lyon na Liga Francesa (16º classificado), tem uma excelente equipa, composta por grandes jogadores, como é o caso de Michel Bastos ou Gourcouff.
A equipa francesa acabou por entrar bastante bem no jogo, bastante pressionante e o Benfica nada conseguiu fazer nos instantes iniciais, pouco a pouco o jogo começou a ficar mais equilibrado mas aos vinte minutos o Lyon partia para a frente do marcador, com um golo de Briand, onde Roberto não tinha qualquer tipo de hipóteses. Durante a primeira parte, o Lyon dispôs de mais ocasiões para marcar, mas falhou bastante na concretização.
Nicolas Gaitan, jogador que esteve bastante bem no jogo contra o Arouca, neste jogo, nas duas vezes que tentou dar uma ajuda a defesa levou cartão, ou seja, aos quarenta minutos de jogo, as 'águias' jogavam com menos um jogador, e tudo ficava cada vez mais complicado.
Na entrada para a segunda parte, Jorge Jesus decidiu procurar a vitória com uma estratégia mais atacante, mas foi novamente o Lyon a marcar, e por intermédio de um jogador que bem conhecem, Lisandro Lopez, antigo jogador do Porto.
Até ao fim o Benfica foi tentando mudar o rumo dos acontecimentos, mas tanto Coentrão, como Peixoto ou Kardec, não conseguiram ajudar o Benfica neste jogo bastante importante.

Nicolas Gaitan - Parece-me que ainda está muito maduro para jogar uma Liga dos Campeões, e para comprovar isso mesmo, temos o jogo de hoje, não conseguiu desiquilibrar e foi (bem) expulso.

Fábio Coentrão - Novamente o melhor jogador do Benfica, ninguém jogou melhor que Coentrão neste jogo, tem vindo a ser bastante regular e no final da época será mesmo bastante difícil segura-lo.

Roberto - Foi por 'culpa' dele que o Benfica não acabou por sofrer mais golos hoje, teve defesas de grande nível e puderá mesmo vir a tornar-se a contratação da época.

Champions League: SC Braga 2-0 Partizan

Sporting de Braga e Partizan jogavam pelos primeiros pontos na Champions League, onde mais uma vez se ouviu o hino da Champions no AXA.

O Braga entrou muito pressionante, sabendo da importância de ganhar este jogo, mas sem efeitos practicos, já que o Partizan foi mais rematador. Mas no futebol ganha quem marca e não quem mais remata. Lima mostrou o caminho para o golo e fez historia, um golaço de livre que só parou na baliza e assim Lima marcou o primeiro golo do Braga na fase de grupos da Champions. O jogo nunca foi de grande qualidade, e ao intervalo, o resultado era melhor que a exibição.

Na segunda parte, o Braga entrou outra vez mais forte, a criar perigo, mas com um guarda-redes sérvio que todos conhecem a defender tudo e a mostrar ao Sporting que podem contar com ele. O Partizan com o passar do tempo ia crescendo e ia aproximando-se da baliza de Felipe, que fez um grande jogo, defendendo tudo e segurando a vitória. Com este crescimento e subida no terreno por parte do campeão da Sérvia, o Braga aproveitou e colocou um ponto final no jogo. Alan ganhou no meio-campo, desmarcou Luis Aguiar e o uruguaio só teve que meter para Matheus encostar e dar assim os primeiros pontos e primeira vitoria para o Braga.

Uma exibição longe de ser boa, mas onde o resultado é que conta mais, pois contra o Shaktar a exibição foi melhor que ontem e o resultado não. Com esta vitória está tudo em aberto, pois o Shaktar perdeu em Londres por 5-1, provando que o problema estava no fortissimo Arsenal e não no Braga.

Colabore connosco!

Faço um pedido a todos os leitores com disponibilidade e com paixão pelo desporto que contribuam para o Jornaleiro Desportivo.
Ultimamente o blogue tem estado muito inactivo e precisamos de colaboradores para voltar a puder manter este espaço actualizado diáriamente com a melhor informação sobre o Desporto.
Se estiver interessado não hesite em contactar-nos através do nosso e-mail: jornaleiro_desportivo@hotmail.com
Obrigado!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Moutinho interessa ao Barcelona


Segundo a imprensa desportiva, João Moutinho está na lista de possiveis jogadores do Barcelona. Os blaugrana procuram um substituto para Xavi, que ainda não está nas melhores condições, e as boas prestações pelo Porto e os antigos relátorios sobre o jogador, quando este estava em Alvalade, podem ser determinantes.

Fábregas é a grande prioridade, mas o Arsenal não está disposto a largar o espanhol. Moutinho é visto assim como outro jogador que encaixa no perfil que Guardiola pretende: capacidade de pressão alta, precipitando os erros do adversário; polivalência no meio-campo; precisão no passe e também nos disparos de meia distância.

Na última sexta-feira, os portistas comunicaram à CMVM a venda de 37,5 por cento do passe do médio à empresa Mamers B.V., a troco de 4,125 milhões de euros.

Equipas apuradas na Taça de Portugal

Liga Zon Sagres

Sp. Braga

Vitória de Setubal

Sporting

FC Porto

Benfica

Rio Ave

Maritimo

Nacional

Academica

Beira Mar

Vitoria Guimaraes

Olhanense

Portimonense

Paços de Ferreira


Liga Orangina

Moreirense

Feirense

Leixões


2.ª Divisão

União da Madeira

Juventude de Évora

Ribeirão

Sp Espinho

Carregado

Torreense

Atletico

Pinhalnovense

Merelinense

Tirsense


3.ª Divisão

Bombarralense

Mondinense


O jogo Varzim x Gondomar foi adiado.
O Moreirense apurou-se para a quarta eliminatória da Taça de Portugal, ao vencer o Operário, nos Açores, por 2-0.
O triunfo da equipa de Jorge Casquilha começou a ser construído na primeira parte, com um golo de Antchouet, aos 39 minutos, que correspondeu da melhor forma a um livre marcado por Lico. O 2-0 surgiu na segunda parte. O golo que deu maior tranquilidade aos vimaranenses foi apontado pelo jovem Renato Santos, aos 71 minutos.

Em declarações à Rádio Santiago, Jorge Casquilha falou sobre a vitória diante do Operário e formulou o desejo de que na próxima eliminatória da Taça de Portugal o Moreirense possa jogar em casa.

[ BOLETIM DE JOGO ]
OPERÁRIO: Armindo, Luís Soares, Jorginho (Vida 78'), Kay, Marco Lança, Bruno Melo, Ruizinho (Amaral 66'), Lucas, Josi (Rodrigo Brazão 62'), Evandro e Fabrício. Suplentes: Tiago Jorge, Mezenga, Ruben Rodrigues, Rodrigo Brazão, Amaral, Wagner Oliveira e Vida.

MOREIRENSE: Roberto Tigrão, Edson, André Micael, Anilton, Castro, Lico, Castanheira, Zé Alberto, Renato Santos (Luís Pinto 71'), Eriverton (Dionattan 86') e Antchouet (Anderson Lobão 78'). Suplentes: Ferreira, Luís Pinto, Anderson Lobão, Pintassilgo, Lourenço, Dionattan e Rodrigo.

Árbitro: Bruno Esteves (Setúbal)
Cartões amarelos: Fabrício (56'), Ruizinho (61'), Eriverton (63'), Rodrigo Brazão (90'+1') e Luís Pinto (90'+1')
Cartão vermelho: Marco Lança (83')

http://www.moreirense1938.blogspot.com/

T. Portugal | Anadia 1 - Feirense 2

Feirense sofre para eliminar Anadia (2-1)

Dois golos no final do jogo garantem passagem

Com dois golos nos últimos instantes, o Feirense, da Liga Orangina, venceu no reduto do Anadia, da II divisão, por 2-1 e carimbou o passaporte para a 4.ª eliminatória da Taça de Portugal.

A formação de Quim Machado mostrou-se bastante apática durante todo o jogo e, mesmo com mais um jogador em campo desde os 68 minutos, esteve a perder até perto do final: restabeleceu a igualdade aos 86 e conseguiu a reviravolta já nos descontos.

Aos 25 minutos, a formação da II divisão conseguiu marcar, por intermédio de Branco, que correspondeu da melhor maneira a um livre na direita, cabeceando para o fundo das redes da baliza forasteira.

No segundo tempo, o Feirense esteve próximo de igualar o encontro aos 49 minutos, com uma iniciativa na direita de Gonçalo Abreu a deixar a defesa da equipa caseira em apuros.

A equipa da casa passou a jogar com 10 elementos após expulsão de Paulo Adriano, por acumulação de amarelos, e já perto do final, o Feirense igualou a partida, por Diogo Fonseca, aos 86 minutos.

Nos descontos, a formação de Santa Maria da Feira arrumou as contas da partida, ao carimbar a reviravolta no marcador, com um golo de Roberto, no primeiro minuto de descontos.

Jogo no Estádio Municipal Eng.º Sílvio Henriques Cerveira, em Anadia

Anadia - Feirense, 1-2

Marcadores: 1-0, Branco, 25 minutos; 1-1, Diogo Fonseca, 86 e 1-2, Roberto, 91

Equipas:

Anadia: Manuel Gama, André Nogueira, Rúben Pereira (André Gonçalo, 90+3), Branco, Vítor Hugo, Eder, Paulo Adriano, Ton (Nelson Reis, 84), Tiago Borges (Marito, 69), Hélder Ferreira e Diogo André.

Feirense: Marco Sousa, Joel Neves, Luciano Silva, Siaka Bamba, Roberto, Tiago Freitas (Diogo Cunha, 46), Marco Cadete (Diogo Fonseca, 70), Gonçalo Abreu, Henrique, André Fontes e Carlos Fonseca (Ludovic, 66).

Árbitro: Hugo Miguel (Lisboa).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Paulo Adriano (43 e 68) e Siaka Bamba (70). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Paulo Adriano (68).

Assistência: Cerca de 300 espectadores.


http://clubedesportivofeirense.blogspot.com/

Taça: Naval-Marítimo, 0-2

Naval afunda-se na primeira vitória verde-rubra

O Marítimo conseguiu neste domingo a primeira vitória da época em competições internas e logo num jogo a eliminar. Na Figueira, a tradição de Rogério Gonçalves vencer sempre no encontro de estreia quebrou-se e a Naval saiu pela borda fora da Taça de Portugal. Curiosamente, o último jogo oficial do agora novo treinador navalista foi, justamente, diante do Marítimo, num encontro que ditou o seu despedimento da Académica, há pouco mais de um ano, na sequência da goleada (2-4) sofrida em pleno Estádio Cidade de Coimbra.
Desta feita, a derrota não foi por números tão expressivos mas a «maldição» avoluma-se: os figueirenses não vencem em casa desde o dia 12 de Março, quando bateram a U. Leiria por 1-0, graças a um golo de Diego Ângelo. Mal classificadas na Liga, estas duas equipas acertam contas para a semana, nos Barreiros, onde, curiosamente, os da Figueira até conseguiram bons resultados nos últimos anos.
O Marítimo deu mostras de maior tranquilidade, conseguindo, numa estratégia de contra-ataque, chegar com mais perigo à baliza de Jorge Batista e, nos primeiros 20 minutos, o habitual suplente de Salin terá sido o jogador mais activo, com um punhado de defesas atentas. A Naval respondeu, pelo inconformismo de Hugo Machado, misturado com o habitual egoísmo de Fábio Júnior, que às vezes até faz a diferença. Não foi o caso.


Golos acabam com dúvidas

O golo dos madeirenses, ironicamente, acabou por surgir numa altura em que os figueirenses até controlavam os acontecimentos e o antagonista já não chegava à baliza da equipa da casa há algum tempo. Mas Kléber é assim, não precisa de mais do que um par de oportunidades para atirar a contar. E foi mesmo em cima do intervalo, num trunfo psicológico como alguns gostam de lhe chamar.
A Naval começou a segunda parte a pressionar, obrigando Peçanha e companhia a atenções redobradas. Nada que algumas saídas a punho não tivessem resolvido, até porque os navalistas pecavam (e muito) na finalização, uma vez por falta de uma pontinha de sorte, outras por pura inoperância. As substituições de Rogério Gonçalves só serviram para meter homens na frente, faltando quem lhes fizesse chegar bolas e, quando assim, fica mais fácil a missão de quem tem de defender. No demais perigo, o guarda-redes verde-rubro resolveu sempre a contendo.
O segundo golo insular, num lance de rara beleza de Tchô, que marcou de calcanhar, veio dissipar as últimas dúvidas, se as houvesse: o passaporte para a quarta eliminatória da Taça de Portugal estava mesmo reservado para o Marítimo.


Ficha de Jogo:

Estádio Municipal José Bento Pessoa, na Figueira da Foz.
Árbitro: Jorge Sousa, auxiliado por José Ramalho e José Luís Melo, da AF Porto.
Quarto árbitro: Humberto Teixeira.
NAVAL: Jorge Batista; Carlitos, Gomis, Rogério Gonceição e Camora; Orestes; Alex Hauw (Simplício, 57 minutos) e Hugo Machado; João Pedro (Previtali, 79), Fábio Júnior e Marinho (Edivaldo, 57).
Suplentes não utilizados: Bruno, Daniel Cruz, Godinho e Giuliano.
Treinador: Rogério Gonçalves.
MARÍTIMO: Peçanha; Briguel, Roberge , Robson e Luciano Amaral; Roberto Souza e Rafael Miranda; Kanu (Edivândio, 67), Danilo Dias (Tchô, 58) e Djalma (Baba, 74); Kléber.
Suplentes não utilizados: Marcelo Boeck, João Guilherme, Alonso, Baba e Dylan.
Treinador: Pedro Martins.
Ao intervalo: 0-1.
Marcadores: Kléber (43) e Tchô (78).
Disciplina: cartões amarelos para Rogério Gonçalves (12), Hugo Machado (23), Danilo Dias (26), Camora (36), Carlitos (44) e Edivândio (79).

http://onavalista.blogspot.com/

Leixões afasta CD Mafra com bis de Éder

Sofrido, no mínimo o jogo de hoje realizado no Mar para a Taça de Portugal. Nunca antes Leixões e Mafra se tinham encontrado na sua existência. Bancada superior com pouco público e destaque para a cerca de meia centena de adeptos vindos da terra do pão de Mafra.
O Leixões até começou bem o jogo com Danilo a inaugurar o marcador logo aos 2 minutos após um canto batido por Oliveira do lado direito. Oliveira que foi dedicar o golo ao preparador físico Vítor Bruno. Resultado que se viria a manter até ao minuto 11 quando Tiago Costa aproveita uma bola perdida na área depois desta ter batido no poste direito da baliza defendida por Paulo Ribeiro. Sem hipóteses de defesa para o guardião leixonense.
Com o início da segunda parte Rui Pedro ficou no banco entrando para o seu lugar Feliciano. O empate viria a ser desfeito por Tuga que aos 56 minutos deixou o estádio do Mar em silêncio. Paulo Ribeiro deixou a bola entrar na baliza norte do Estádio do Mar. Depois do silêncio houve minutos de jogo em que o Leixões não conseguia fazer frente a um CD Mafra motivado. Até que Éder numa arrancada e com o guarda-redes pela frente só tem de encostar para o fundo das redes fazendo com que os adeptos que se encontravam no estádio saltassem efusivamente no festejo do golo. Estava restabelecida a igualdade no Mar. E os adeptos leixonenses pediam mais…
Mais um golo era o necessário para passar à próxima eliminatória da Taça de Portugal. Os adeptos pediram e Éder novamente coloca um ponto final num jogo que marcou a estreia de Pedro Santos assim como de Paulo Ribeiro num jogo oficial do clube de Matosinhos.
Agora só resta dizer… que venha o próximo!

http://leixoes-sc.blogspot.com/

Taça Portugal: Mirandela 1-1 Beira-Mar (2-4 a.p.)

Sofrer desnecessariamente...


O Beira-Mar segue em frente na Taça de Portugal, após ter levado de vencida o Mirandela, no desempate por marcação de grandes penalidades. Partida muito equilibrada, fruto da excelente atitude dos locais que dificultaram a tarefa dos aveirenses.


Os auri-negros adormeceram à sombra da vantagem (Ronny aos 21') e sofreram (a bom sofrer) na etapa complementar.



Por diversas vezes os locais estiveram perto de empatar e acabaram por chegar à igualdade no último minuto dos descontos, através da marcação de uma grande penalidade.
Na sequência desse lance o Beira-Mar ficou reduzido a 9 unidades (mão na bola de Djamal). Já antes tinha sido expulso André Marques, por acumulação de amarelos, aos 86'.
Duro golpe para o Beira-Mar mesmo em cima do tempo regulamentar... mas também um justo prémio para os locais (nunca desistiram) e castigo para a falta de atitude dos aveirenses na 2ª parte.


No prolongamento, o ritmo de jogo baixou e os aveirenses conseguiram controlar os acontecimentos. Foi preciso ir a penalties para o Beira-Mar eliminar o Mirandela (III divisão).


11 inicial do Beira-Mar: Oblak; Danilo, Hugo, Kanu, André Marques; Artur, Djamal, João Luiz; Wilson Eduardo, Tatu e Ronny.
Suplentes: Paes, Ruben Lima, Sérgio Oliveira, Jaime, Rui Varela, Tiago Barros e Maranhão.


Substituições: 59' entrou Sérgio Oliveira, saiu Wilson Eduardo; 74' entrou Alex Maranhão, saiu Leandro Tatu. 82' entrou Rui Varela, saiu Ronny.


Golo do Beira-Mar, aos 21', por Ronny. Passe de Artur a lançar o avançado brasileiro, este à entrada da área rematou cruzado sem hipótese para o guardião contrário.
Nos penalties: Marcaram Hugo, Joao Luiz, Kanu e Sergio Oliveira. Artur falhou. Oblak defendeu 2 grandes penalidades.

http://maisbeira-mar.blogspot.com/

Passagem aos 16avos

Custou mas foi...

No último minuto do prolongamento, Amaury Bischoff fez de livre directo o golo da vitória da Briosa.
Cesarense 1 - Académica 2, foi este o resultado final sofrido frente a uma equipa da II Divisão, em mais uma exibição forasteira da Briosa muito aquém do esperado.

Jorge Costa:
"A única felicidade é ter ganho e passado. Temos de tirar muitas conclusões deste jogo. Não é este o caminho que quero. Não me chega que os jogadores dêem tudo. Não soubemos gerir a vantagem e ter bola. Perdemos a organização."

Apesar de tudo a Académica alcança os 16avos de final da Taça de Portugal.

Um bom sorteio (ou não) e 4 vitórias é tudo o que falta para chegar à Final...

FORÇA BRIOSA!

http://academicasempre.blogspot.com/

Paços segue em frente

O Paços recebeu e venceu o SC Sao Joao de Ver na 3.ª eliminatória da Taça de Portugal. Frente a um adversário (teoricamente) mais facil, o Paços viu-se obrigado a dar o litro, para não sofrer uma surpresa desagradavel.

Sem grandes alterações no onze (as principais novidades foram Pedro Queirós, Bura e Nuno Santos) o Paços entrou praticamente a vencer na partida. Aos 5 minutos Pizzi apontou um grande golo e muita gente pensou que seria um passeio para os Castores.

A verdade é que mesmo sem um futebol muito vistoso, o São João aproveitou os erros dos pacenses e chegou mesmo ao empate por Ruben Gomes. Festa dos adeptos visitantes que se deslocaram à Mata Real.

O golo enervou ainda mais a equipa pacense que se ia mostrando inconsequente no ataque, mesmo estando na baliza oposta um guarda redes muito nervoso e que ia largando as bolas uma atras da outra...

O intervalo chegou, e como em quase todos os jogos esta época, fez bem aos castores! Mas foi preciso um abanão na equipa com as saidas de David Simão (continua a inventar demasiado e a produzir pouco) e Nuno Santos e entrada de Rondon e Olimpio. O Paços passou a jogar melhor no meio campo e com naturalidade chegou ao 2-1. Maykon cobrou o livre e Cohene de cabeça fez o golo. Respiravam de alivio os poucos pacenses que se deslocaram à Mata Real (preços altos para jogos fracos da nisto...). Mas como nisto da taça há sempre surpresas, o suspense foi amntido ate perto do final, altura em que novamente Cohene, desta feita no seguimento dum canto fez o 3-1.

Estava arrumada a questão. No entanto, os visitantes tiveram ainda hipotese de marcar mais uma vez quando, o arbitro da partida assinalou grande penalidade a seu favor no ultimo minuto. Felizmente, Cassio defendeu. Logo de seguida o arbitro apitava.


Declarações de Rui Vitória:


«Parece-me ser justo dar os parabéns ao São João de Ver pela entrega e pela qualidade. Eu já estive do lado de lá e sei que nestes jogos há uma transformação, em termos de motivação. Que as duas equipas atinjam os seus objectivos. Nem sempre se consegue jogar bem, não é caso virgem. Não gostei da forma como o Paços jogou. Temos de trabalhar sempre da mesma forma, como equipa.»

http://castores1950.blogspot.com/

Vitória avança na Taça de Portugal

O Vitória recebeu e derrotou o Atlético de Malveira por 4-0 a contar para a 3ª eliminatória da Taça de Portugal. Manuel Machado preparou bem a equipa, de modo, que os jogadores não relaxaram e fizeram o Vitória avançar.
Os "Vimaranenses" apresentaram-se em jogo com uma excelente postura e durante a primeira parte fez muito boa circulação de bola e comandou quase sempre o jogo. À passagem do minuto 11', Toscano, num belo e potente remate de fora da área inaugurou o marcador. Foi assim o regresso do brasileiro aos golos pelo Vitória. Ainda na primeira parte, João Ribeiro fez o gosto ao pé e ampliou o marcador para 2-0.
Na segunda parte, apesar da natural quebra de ritmo, o Vitória continuava a controlar o jogo. Ao minuto 62', Edgar, respondeu muito bem a um cruzamento milimétrico de João Ribeiro. O Vitória não se ficou por aqui e mesmo perto dos 90', Maranhão apontou o quarto golo da equipa liderada por Manuel Machado.
O Jogo ficou marcado pelos regressos á competição de Tiago Targino e William.

O Vitória alinhou com a seguinte equipa:
Serginho, Pereirinha, Freire, João Paulo e Bruno Teles, Flávio; João Alves, João Ribeiro e Edson, Edgar e Toscano

http://conquistadorvsc.blogspot.com/

sábado, 16 de outubro de 2010

Taça de Portugal: FC Porto 4-1 Limianos

O Porto, detentor do Taça de Portugal, iniciou hoje a defesa do titulo contra o Limianos.

Com varias alterações e a estreia de varios jogadores como Sereno, Emidio Rafael, James Rodriguez, o Porto entrou forte, mas o Limianos não se inibiu por jogar no Dragão e deu uma boa replica. O Porto marcou logo aos 9 minutos, por Walter, mas o Limianos não baixou os braços e ia jogando de forma directa, olhos nos olhos com o Porto. Antes do intervalo, Varela aumentou para 2-0. Ao intervalo, o resultado mostrava o que era o jogo, Porto mais forte, mas boa réplica do clube de Ponte de Lima.

Na 2ªparte, as forças do Limianos começaram a perder-se, e o Porto sem deslumbrar dominava. Walter bisou na partida, e o Limianos reduziu para 3-1. O golo pode não ter servido para nada, mas vai ficar sempre na memória de Pedro Tiba, pois não é todos os dias que se marca um golo no Dragão, principalmente quando se é jogador amador.
Com o resultado feito, Walter quis que a noite fosse sua e marcou o seu 3ºgolo, acabando com a historia do jogo. No final, o Porto passava, mas o Limianos caia de pé, pois enquanto teve força, jogou de igual para igual com o Porto.

Sporting segue em frente

O Estoril Praia ficou afastado da Taça de Portugal, de futebol, após a derrota averbada frente ao Sporting, por 1-2, no jogo da 3.ª eliminatória, disputado na Amoreira.
Os “canarinhos” entraram em campo sem mostrar qualquer tipo de receio dos “leões” e rubricaram uma excelente exibição, na primeira parte, acabando por justificar a vantagem conseguida ao intervalo (1-0), com um golo apontado de cabeça, por Alex Afonso, aos 36 minutos de jogo.
No segundo tempo inverteram-se os papéis com a formação leonina mais dominadora e simultaneamente mais veloz, começando por criar alguns calafrios na defensiva do Estoril, até que, aos 63 minutos, Liedson deu início à reviravolta no placar, apontando, de cabeça, o golo do empate (1-1).
Antes do Sporting chegar à vantagem, o treinador do Estoril, Vinícius Eutrópio foi expulso por palavras e após o segundo golo da turma de Alvalade, o adjunto Luís Roquete também recebeu ordem de Pedro Proença para sair de campo.
E passados 15 minutos (78’), na sequência de um livre, um mau alívio da defesa estorilista, permite a Hélder Postiga voltar a bater o guardião Cléber, dando a vitória (1-2) ao Sporting, que assim avança para a 4.ª eliminatória da Taça de Portugal, deixando a turma da Linha, fora da competição.
In GD Estoril-Praia (blogue parceiro)

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Portugal volta a ganhar

Portugal derrotou esta terça-feira a Islândia em jogo disputado no país escandinavo por 3-1, com os golos de Portugal a serem apontados por Cristiano Ronaldo, Raul Meireles e Hélder Postiga.
O jogo começou logo com o golo de Cristiano Ronaldo de livre marcado ao ângulo inferior esquerdo da baliza islandesa com apenas três minutos de jogo decorridos e a selecção nacional já estava na frente do marcador.
Através de um canto a equipa da casa restabelece a igualdade no marcador num golo bastante duvidoso, pois dá a ideia que Pepe corta a bola em cima da linha, no entanto o árbitro não teve dúvidas e assinalou logo.
Mas à passagem da meia hora, numa bomba de Raúl Meireles a mais de trinta metros da baliza, Portugal voltou para a frente do marcador, o golo foi espectacular.
Na segunda parte, Raúl Meireles voltou a estar perto de marcar, mas a bola foi à trave.
Portugal sem fazer um jogo brilhante manteve-se em busca do golo da tranquilidade que só chegou depois da entrada de Hélder Postiga em campo por troca por Hugo Almeida, o avançado do Sporting aproveitou uma falha do guarda-redes islandês e com a baliza "escancarada" não desperdiçou e encostou para o terceiro golo que garantia a vitória.
Portugal controlou o jogo até final e assim completou esta dupla jornada com duas vitórias que relançam a selecção das quinas no apuramento para o Euro2012.
A Dinamarca ganhou e soma agora seis pontos, menos um que Portugal, ainda que tenha menos um jogo que a equipa portuguesa.

Continuar a somar

Portugal deslocou-se até à Islândia onde vai defrontar essa mesma selecção em jogo a contar para a quarta jornada de apuramento para o Euro2012, onde mais uma vez é obrigatório ganhar para somar pontos, depois de duas jornadas desastrosas.
Paulo Bento revolucionou a selecção e Portugal obteve a primeira vitória, em casa contra a Dinamarca com uma prestação de muita qualidade e assim deverá continuar.
Os jogadores voltaram a ter orgulho em vestir a camisola das quinas, orgulho esse que foi perdido quando Carlos Queiroz comandava a selecção.
Quanto ao jogo de hoje não deverá haver alterações no onze, depois da exibição bem conseguida na partida anterior e hoje espera-se então uma nova vitória para que Portugal se mantenha na corrida.
Paulo Bento quer a equipa a ganhar e a ganhar bem mas o fundamental é que ganhe, porque o resto vem por acréscimo, ganhar é que tem mesmo de ser.
Nos últimos anos Portugal tem habituado os portugueses a estarem de calculadora na mão e com a pressão de ganhar todos os jogos para se qualificarem, mas no fim acaba tudo sempre com alegria e acredito que desta vez não ser excepção.
Boa sorte Portugal!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Futsal:Benfica e Sporting goleiam

Foi cumprida este fim-de-semana a sexta jornada do campeonato nacional de Futsal, em que tanto Sporting como Benfica golearam os seus opositores vencendo com alguma tranquilidade.
O Benfica recebeu o Freixieiro e derrotou a equipa matosinhense por claros 6-1, com o primeiro golo a ser apontado por Pedro Costa e até ao intervalo o Benfica dominou e apontou mais dois golos, por Diego e Diece que se traduzia num 3-0 no final do primeiro tempo.
Ricardo reduziu para o Freixieiro mas os encarnados mantiveram-se fortes e eficazes e apontaram mais 3 golos, Diego bisou e Marinho e Davi estrearam-se a marcar na partida encerrando o resultado.

No pavilhão Paz e Amizade, o Sporting a jogar em casa derrotou o Modicus por 5-1 com todos os golos a serem marcados na primeira parte.
À passagem do sexto minuto, o marcador foi inaugurado com um golo apontado por Deo, apenas quatro minutos depois foi Nandinho que teve a infelicidade de marcar na próxima baliza dando uma vantagem de dois golos à formação leonina que não se acomodou e apontou mais três golos:Divanei bisou e Paulinho apontou o outro tento dos verde e brancos.
Quase a terminar os primeiros vinte minutos de jogo, o Modicus apontou o seu golo de honra através de Gabriel.

O Belenenses também goleou, em casa do AMSAC por 3-9 e partilha a liderança do campeonato com o Benfica somando 16 pontos, a seguir surge o Fundão com 12 pontos e menos um jogo, em quarto o Instituto D.João V e a fechar os primeiros 5 está o Sporting com 10 pontos e com dois jogos de atraso.

Andebol:6ª jornada

Na sexta jornada do campeonato nacional de andebol, destaque para a liderança repartida de ABC e Benfica que ganharam ambos os seus jogos, os bracarenses derrotaram o Sporting da Horta por 35-29 enquanto que, o Benfica venceu na casa do São Bernardo por 32-36 e seguem na frente da competição com 16 pontos.
Já o Sporting atrasou-se na corrida, perdendo pela segunda vez consecutiva, desta feita, em casa, com o Madeira SAD num jogo disputado até final, onde os madeirenses apenas asseguraram a vitória por 22-23 a três segundos do fim.
No entanto, os «leões» apesar das duas derrotas consecutivas, estão na terceira posição do campeonato, ainda que possam vir a descer para a quinta posição, pois Águas Santas e FC Porto completam a jornada na quarta-feira.
O Belenenses, outra equipa candidata ao titulo, foi derrotado em São Mamede com a Académica local por 25-24 e estão na sexta posição.

domingo, 10 de outubro de 2010

Bwin Cup:Beira-Mar empata em Fátima

O Beira-Mar não foi além de um empate frente ao Fátima, na 1ª mão da 2ª fase da Taça da Liga. Os auri-negros foram claramente superiores mas evidenciaram as mesmas lacunas na finalização. Quem falha tantas oportunidades... não pode ganhar!
Leonardo Jardim fez algumas alterações ao 11 base – principal destaque para Sérgio Oliveira que rubricou uma boa exibição.
Beira-Mar alinhou em 4-3-3 » Rui Rego; Pedro Moreira, Kanu, Hugo, Renan (lateral esquerdo), Yohan (trinco), Sampaio, Sérgio Oliveira, Tatu (direita), Varela e Alex Maranhão (esquerda).
Num relvado escorregadio, desde cedo o Beira-Mar tomou conta do jogo. Varela aos 9’ desperdiçou a primeira oportunidade... e no minuto seguinte... Tatu adiantou os auri-negros no marcador. O Fátima tentou reagir mas o controlo do jogo pertenceu sempre ao Beira-Mar. A única oportunidade dos locais coube a Mauro Bastos, cerca dos 20’ – isolado frente a Rego não conseguiu desfeitar o guardião. O Beira-Mar ainda teve um golo anulado (Kanu – por alegado fora-de-jogo) na sequência de um livre bem apontado por Maranhão. Ao intervalo, a vantagem do Beira-Mar era justa. Foi nitidamente a melhor equipa.
2ª parte: Mais do mesmo. Sempre o Beira-Mar mais perto do 2-0 do que o Fátima de empatar. Só que os auri-negros teimam em falhar golos feitos... Varela aos 55’... isolado perante o guarda-redes adversário... Cerca dos 60’, foi a vez de Tatu criar perigo. De assinalar as excelentes aberturas, visão de jogo de Sérgio Oliveira (a reclamar a titularidade).
Mas... como reza o ditado... "quem não mata morre..." contra a corrente do jogo... o Fátima chega ao empate num belo lance individual de Yartey. Castigo para a ineficácia aveirense.
Na etapa complementar, Leonardo Jardim lançou João Luiz e Artur (ainda antes do golo), Yohan recuou para defesa direito e mais tarde Wilson Eduardo. Este uma vez mais esteve ao seu nível. Bom jogador, rasga a defesa contrária mas não quer nada com a baliza ou esta com ele. Aliás... Wilson Eduardo personifica o Beira-Mar 2010/2011 até ao momento. Excelente atitude, imenso potencial mas no momento da verdade... desperdiça...
Conclusão: O Beira-Mar só não venceu o Fatima (equipa fraquinha) por que não quis.. ou melhor... por que continua a desperdiçar oportunidades flagrantes de golo.
Se os aveirenses estiverem ao seu nível no jogo da 2ª mão (mesmo a desperdiçar oportunidades em série)... estarão na 3ª fase da Taça da Liga – 2ª fase de grupos... sem grandes problemas.

Nota: O jogo, em termos globais, não foi famoso.... mas valeu pela viagem com os "auri-negros e companhia". Em especial... a viagem de regresso. Foi fantástica!!! (Ainda) Vale a pena ser auri-negro!!!
In Mais Beira-Mar (blogue parceiro)

Taça de Portuga:l 1º Dezembro 1-2 SC. Braga

Sporting de Braga e 1º Dezembro, da 3ª divisão faziam o jogo inaugural da 3ª eliminatoria. Domingos fez poupanças e de fora ficaram os habituais titulares.

Um jogo que opunha uma equipa do escalão principal a uma da 3ª divisão, mas quem não soubesse diria que ambas as equipas estavam ao mesmo nivel.

O inicio foi tal como se esperava, o Braga entrou forte, criando perigo, e chegou por duas vezes ao golo, graças a Elton e a um auto-golo de Ricardo Pereira. Parecia bem lançada a equipa minhota, visto que tinha 2 golo de vantagem e o 1º Dezembro pouco ou nada tinha feito até ali. Mas as aparências iludem, e o clube de Sintra cresceu e começou a equilibrar a partida, tudo por culpa do golo que marcou, num penalty duvidoso, mas que contribuiu para o crescimento da equipa, tendo logo a seguir atirado uma bola à barra. Até ao intervalo, não se verificou mais nenhuma alteração no marcador, mas o Braga tinha que fazer mais.

A segunda parte foi igual, o 1ºDezembro muito atrevido e um Braga a falhar muitos passes e a pecar muito no aspecto ofensivo. O jogo foi sempre fraco, e com o tempo as forças do 1ºDezembro foram desaparecendo, como quase sempre acontece quando as equipas mais pequenas e de outro escalão jogam com as de um escalão superior.

Mas de pequeno teve muito pouco, o 1ºDezembro. No final o Braga passava, mas esta equipa de Sintra portou-se como uma equipa da primeira e mereceu ser ovacionada de pé. Quanto ao Braga, o mais importante que jogar bem, era ganhar este jogo e assim está ultrapassada esta primeira etapa. Ainda assim os Gverreiros do Minho vão ter que trabalhar muito mais para conquistar esta prova.

Bwin Cup:Académica escorrega em Arouca

A Académica voltou a conseguir deixar fugir incrivelmente um resultado favorável.

Em jogo da 1ª mão da 2ª Fase da Taça da Liga (BWin Cup), a Académica deslocou-se a Arouca para defrontar o FC Arouca, recém-promovido à Liga de Honra (Liga Orangina). Após um 0-0 na primeira parte, a Académica até esteve a vencer 0-2 com golos de M.Fidalgo (51') e D.Valente (61'). No entanto, o empate a 2-2 viria a ser o resultado final.
Resta saber se os golos fora contam, já que ainda não encontra disponível o regulamento para a competição na página da LPFP.

Esperemos que Jorge Costa consiga dominar a eliminatória desta taça que terá a final em Coimbra, bem como da Taça de Portugal que se joga já no próximo fim de semana, tendo como adversário o Cesarense da II divisão.
Recorde-se que Jorge Costa tem sido eliminado precocemente destas competições, como nas 1ªs eliminatórias da Taça de Portugal dos últimos 2 anos, pelo Valenciano e Arcos de Valdevez da III e II divisão respectivamente.

Nem pensar nisso! Queremos mais, muito mais!
In Académica Sempre (blogue parceiro)

Bwin Cup:Leixões e Paços empatam

O Leixões recebeu o primodivisionário Paços de Ferreira com uma casa um pouco despida para o habitual a que o estádio do Mar nos habituou. O jogo propriamente dito começou com um grande pendor ofensivo e ainda antes do 2.º minuto de jogo já havia uma oportunidade que Éder não aproveitou da melhor maneira. Um minuto depois, aos 2’, Rui Pedro obriga o guarda-redes pacense a uma excelente defesa. Depois de um início fulgurante do Leixões a equipa viria a marcar aos 45 por intermédio de uma grande penalidade provocada por Cássio sobre Éder que Oliveira aproveitou ao apontar rasteiro para o lado esquerdo da baliza do paços. A primeira parte terminava com o golo leixonense que viria a manter-se até ao minuto 62’ altura em que Rondon aproveitou uma falha de Tales que tentou retirar a bola da zona de meio campo permitindo a que o avançado dos amarelos igualasse a partida no Estádio do Mar. Ainda até ao final do encontro Augusto Inácio viria a mexer na equipa por 2 vezes com as entradas de Félix e Feliciano para as saídas de Éder e Tiago Cintra respectivamente.
O Leixões volta a defrontar a equipa na capital do móvel no jogo da 2.ª mão em que aos leixonenses terão de marcar golos e aos pacenses servirá o empate para seguirem em frente na competição.

sábado, 9 de outubro de 2010

Liga Zon Sagres

Aproveitando a pausa na liga para fazer o balanço das primeiras sete jornadas pode-se verificar que este inicio de prova tem sido totalmente dominado pelo FC Porto que soma seis vitórias e um empate e fica também marcado pelos empates do Sporting que nesta altura está num décimo lugar sendo a surpresa negativa da prova.
O Porto tem mostrado ser o conjunto mais sólido, com uma mentalidade vencedora enorme agora renovada pelo jovem técnico André Villas-Boas que veio revolucionar um «dragão» com vontade de reconquistar o titulo depois de um ano perdido para o rival Benfica.
Hulk tem sido uma força da natureza, agora um jogador mais de equipa mais completo, o internacional brasileiro já leva seis golos marcados liderando a lista de marcadores, marcando muitos golos de belo efeito e também a ser o motor desta equipa com as suas fantásticas jogadas individuais.
Nota-se que Hulk cresceu imenso como jogador, na minha opinião quando chegou a Portugal não passava de um jogador banal que jogava apenas e só para si, mas agora aliando a sua força, técnica e velocidade e a jogar mais para o colectivo, o extremo portista mostra-se imparável e é até esta altura o melhor jogador do campeonato.

O Benfica, uns furos abaixo daquilo que produziu a temporada passada entrou no campeonato com dois deslizes com Académica e Nacional, mas depois iniciou a recuperação com uma vitória tranquila com o Setubal em casa e encontra-se nesta altura na segunda posição, tendo inclusivé ganho ao rival Sporting e é neste momento uma equipa muito mais confiante e com mais força para lutar pelo titulo.
Carlos Martins e Fábio Coentrão têm sido os melhores do lado dos encarnados e a sua qualidade foi reconhecida por Paulo Bento que no jogo da selecção com a Dinamarca os colocou a titulares.

O Sporting de Braga tem pela frente uma dura tarefa de competir na "Champions" a meio da semana e ao fim-de-semana jogar para o campeonato e como é óbvio a equipa ressente-se pois não está habituada a estas andanças.
O objectivo da equipa deverá passar então pelo alcance das provas europeias, ficando no top 5 da liga.
Silvio, Leandro Salino e Matheus têm sido os melhores do lado dos guerreiros do minho que nesta altura na sexta posição a apenas um ponto dos segundos classificados.

Em pior situação está o Sporting que soma apenas duas vitórias e três empates e com uma falta de eficácia bastante elevada, os «leões» são a equipa mais rematadora do campeonato à frente do Porto com 131 remates mas em sete partidas, apenas seis golos foram apontados, algo muito preocupante para os lados de Alvalade.
Simon Vukcevic é a figura de destaque no Sporting, uma garra tremenda e à semelhança de Hulk está a jogar mais para a equipa e é um jogador que cria bastante perigo com os seus remates da direita para a esquerda, sendo que Simon é o jogador mais rematador até ao momento, no entanto golos apontados pelo montenegrino só na Liga Europa...

Olhanense e Académica são dos clubes ditos pequenos os que mais têm surpreendido e estão a par de Benfica e Guimarães na segunda posição com doze pontos e ameaçam lutar pelas competições europeias a manter este nivel.

No fundo da tabela, Maritimo e Rio Ave têm desiludido, é a dupla que está nesta altura na zona de despromoção ainda sem qualquer vitória.

Foram marcados até ao momento 118 golos, pertencendo o melhor ataque ao lider Porto que também tem a melhor defesa com apenas 3 golos concedidos.
Pelo contrário, o Maritimo é o pior ataque com 3 golos marcados e a Naval a pior defesa com 12 golos sofridos até ao momento.

Disciplinarmente o Benfica é a equipa que soma mais amarelos e mais vermelhos, sendo Rogério (Naval) o mais amarelado (5 amarelos).

Que opinião têm sobre as primeiras sete jornadas do campeonato?

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Portugal vence e mantém-se na corrida

Estreia feliz para Paulo Bento na selecção nacional, Portugal derrotou a Dinamarca por 3-1 com uma exibição bastante convicente, Nani pôs a equipa com dois golos de vantagem em dois minutos, Ricardo Carvalho apontou um auto-golo a quinze minutos do final, mas Cristiano Ronaldo após assistência de Nani garantiu os três pontos à equipa das quinas que assim pode continuar a sonhar com a presença no Europeu 2012.
Nani foi a figura do jogo pelos golos e pela assistência mas há que destacar também a brilhante exibição de João Moutinho, foram sem dúvidas as peças que mais se destacaram na partida.
No estádio do Dragão, Portugal via-se obrigado a vencer e à meia hora de jogo após cruzamento rasteiro de Ronaldo, Nani em zona previligiada concluí com um golo dando a vantagem à equipa da casa.
Apenas dois minutos depois, Nani à entrada da área num remate forte e colocado enfiou a bola no ângulo superior direito da baliza da Dinamarca, dando alguma tranquilidade a Portugal, a melhor selecção em campo durante todo o jogo.
Portugal foi controlando e criando uma série de oportunidades para facturar, mas, Lindegaard foi evitando o terceiro golo da equipa orientada por Paulo Bento.
O tempo de jogo ia passando e Portugal mantia-se tranquilo na liderança da partida, até que, após um canto apontado pelos dinamarqueses, Ricardo Carvalho introduziu a bola na própria baliza com o braço reduzindo a vantagem portuguesa para 2-1.
Mas a selecção nacional não baixou os braços e após excelente trabalho de Nani na área dinamarquesa, o jogador do Manchester United isolou o ex-companheiro de equipa Cristiano Ronaldo que isolado perante a baliza não desperdiçou, voltando aos golos.
Portugal soma agora quatro pontos no Grupo H e na próxima terça-feira irá defrontar a Islândia onde mais uma vez é obrigatório ganhar.

A estreia de Paulo Bento

Portugal cumpre hoje o terceiro jogo deste complicado apuramento para o Europeu de 2012 diante da selecção dinamarquesa, no jogo que ficará marcado pela estreia de Paulo Bento no comando técnico da selecção dos portugueses.
Uma estreia muito complicada, com a equipa das quinas de calculadora nas mãos, após um empate com o Chipre em casa e de uma derrota na Noruega, mas agora começa uma nova Era, com um novo treinador e alguns novos jogadores que se estreiam pelo seu país.
De novo temos pela frente a Dinamarca, que no apuramento para o último Mundial venceu a nossa selecção por 2-3 no Estádio de Alvalade, naquela que até foi considerada uma das melhores exibições dos últimos tempos por parte de Portugal.
Não há margem para erro nesta partida, nova perda de pontos pode ditar à terceira jornada do Grupo H o fim do sonho em disputar mais um europeu.
Será dificil prever um onze para o jogo desta noite, com um novo seleccionador as escolhas são mais imprevisiveis, incluindo até na táctica a ser usada que já há alguns anos tem sido o 4x3x3 mas é sabido que Paulo Bento é apologista do seu famoso 4x4x2 em losango.
Por isso, apresento o meu onze para cada uma das tácticas.
4x3x3:

Eduardo
João Pereira, Bruno Alves, Ricardo Carvalho e Fábio Coentrão
Manuel Fernandes
Raúl Meireles e João Moutinho
Cristiano Ronaldo, Hélder Postiga e Nani

4x4x2:

Eduardo
João Pereira, Bruno Alves, Ricardo Carvalho e Fábio Coentrão
Raúl Meireles
Carlos Martins e Nani
João Moutinho
Cristiano Ronaldo e Hélder Postiga

Resta-me então, enquanto português, desejar boa sorte a Portugal.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

André Villas Boas admite inexistência de penalty em Guimarães

André Villas-Boas, em declarações ao site do Futebol Clube Porto assumiu que não houve penalty a favor dos «dragões» em Guimarães que ditou a expulsão do técnico portista por protestos.
Eis a declaração de Villas-Boas:
«Na sequência de uma série de imagens proporcionadas hoje pela TVI sobre o lance na grande área do Guimarães, e que originou a minha expulsão, confirma-se que não há realmente caso para grande penalidade. Nessa jogada as críticas são infundadas e injustas. No entanto, esta reapreciação não apaga uma sequência de erros, cuja referência mantenho e que devem ser analisados à 10ª jornada. Estaremos, pois, atentos ao rigor e à ponderação dados pelo presidente da Comissão de Arbitragem às faltas de Ricardo e João Alves sobre Falcao e João Moutinho, respectivamente, e à entrada violenta por trás do João Paulo sobre Falcao. Para além disto, houve dois foras-de-jogo mal assinalados, sendo que um dos quais deixava o Falcao isolado frente ao guarda-redes»

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Futsal:Benfica e Sporting vencem

Em jogos a contar para a quinta jornada do Campeonato Nacional de Futsal, o Benfica e o Sporting venceram os seus jogos fora de casa.
Os encarnados visitaram o Alpendorada e de lá sairam com um triunfo expressivo por cinco bolas a uma que coloca a equipa de Paulo Fernandes na liderança com treze pontos.
Pelo Benfica marcaram Davi, Diece, Marinho, Gonçalo Alves e Cesár Paulo, sendo que o tento de honra da equipa da casa foi apontado por Esquerda.
Já os verde e brancos foram a Vila do Conde derrotar o Rio Ave por 0-2 com dois golos no inicio da partida marcados por Cardinal e Paulinho.
O Sporting soube controlar a partida e venceu o Rio Ave justamente, somando sete pontos na prova, mas em apenas três jogos disputados, situando-se na quinta posição da tabela classificativa.
Na próxima jornada, o Benfica recebe o Freixieiro e o Sporting recebe o Modicus.

Liga ZON Sagres: Análise da jornada 7


O TROPEÇÃO DO SENHOR LÍDER

À sétima jornada, já com um total de onze jogos oficiais para trás, o FC Porto travou o seu ciclo de vitórias. Não perdeu, sim, mas o empate frente ao Vitória de Guimarães, pelas circunstâncias em que foi sofrido, tem um sabor amargo, quase como se de uma derrota se tratasse, já que viu travada a sua cavalgada plena de triunfos. Mantém a liderança destacada, tem uma situação privilegiada, só que perdeu dois pontos e, por isso, tem sete de vantagem... sobre o Benfica. O campeão, com três vitórias consecutivas, recuperou do início em falso, ascendeu ao segundo lugar e conseguiu retirar alguma expressão ao atraso para o FC Porto. Perspectiva-se, cada vez mais, um duelo. Sporting e Sp.Braga estão já a dez e nove pontos da liderança. É um fosso considerável.

Arma em riste, escudo elevado, vontade de combater e coragem para tomar o castelo rival. Ascendente conseguido, um tiro disparado pelo canhão de Hulk para premiar o melhor período azul, já depois de o Vitória ter desperdiçado uma oportunidade soberana para deixar o dragão em tremuras. O castelo abriu uma brecha mas não ruiu. Já dera provas de consistência, valor e força para reagir. Manuel Machado mudou a estratégia, enviou os sinais necessários, alertou a tropa para a necessidade de corrigir aspectos e melhorar o rendimento. Pelo facto de estar por cima, o FC Porto, com o passar do tempo, foi baixando a guarda: limpou as armas, contou as munições, diminuiu a intensidade com que se fizera à luta e confortou-se com o que conseguira. Saltou o joker para a frente de batalha: Faouzi. Disparou um tiro certeiro no porta-aviões azul. Acentuação do cenário bélico, picardias em catadupa, polémicas arbitrais. O FC Porto tropeçou.

Passe de Saviola, domínio precioso de Carlos Martins, troca de pés e potência no remate. Bola pára no fundo da baliza de Felipe. Marca o Benfica e carimba a vitória: esteve por cima, foi mais equipa, mais incisivo, estava mais pressionado para vencer e criou mais oportunidades. Ganha com justiça devido a tudo isso. O Sp.Braga teve os seus momentos, levou Roberto a emergir, cresceu no final da primeira parte, surgiu do descanso mais ousado e mais solto, deixando a indefinição inicial, conseguindo jogar mais tempo no território adversário. Os rivais anularam-se, respeitaram-se e tiveram cautelas múltiplas. O jogo decidiu-se no pontapé de Carlos Martins. É um diabo irreverente, inconformado, morde a língua, deixa que a raiva se liberte e foi quem mais lutou pelo golo. O Benfica mereceu-o, porque foi, no duelo entre campeão e vice, diferentes e menos consistentes em relação ao ano passado, quem mais tentou ser feliz. Está a melhorar.

Confirmado: o leão é bipolar. Tem duas caras, duas formas diferentes de jogar, varia consoante e exigência e a realidade em que está inserido. Sorri na Europa: exibição sólida, alegria a transbordar, cinco golos marcados ao Levski de Sófia. Poderia ser um embalo, um tónico, um empurrão para recuperar caminho no campeonato e diminuir o atraso de dez pontos para o topo. Só que, lá está, aparece o reverso da medalha: foi surpreendido pelo Beira-Mar, viu-se em desvantagem num erro colossal de Rui Patrício, teve que correr em busca do resultado, empatou por João Pereira, revelou-se pouco eficaz, esbarrou numa exibição portentosa do guarda-redes Rui Rego e cedeu dois pontos. O leão, grande e candidato, está, à sétima jornada, no décimo lugar, a uma dezena de pontos do FC Porto, ultrapassado por Benfica e Sp.Braga, contando apenas com três vitórias e partilhando a posição com o Vitória de Setúbal. É muito mau.

Vitória de Guimarães e Olhanense são dois dos principais destaques das sete primeiras jornadas do campeonato. Estão, por obra própria, no segundo lugar, à frente do Benfica, com doze pontos somados: os vimaranses, já se disse, travaram a marcha vitoriosa do FC Porto e os algarvios, em casa, bateram o pé ao Vitória de Setúbal (3-1). Destaque ainda para o quinto lugar da União de Leiria, que venceu, por 2-1, a Académica - as duas equipas, assim como o Sp.Braga, fixam-se nos onze pontos. Paços de Ferreira e Nacional regressaram às vitórias, chegando aos dez pontos, depois de vencerem, respectivamente, Naval (1-2) e Portimonense (3-1). No duelo entre últimos, equipas sem alegria, sem escassos golos marcados e sem vitórias, Rio Ave e Marítimo anularam-se, em Vila do Conde, num jogo que só poderia, por tudo aquilo que as envolve, terminar empatado: sem golos, com algumas oportunidades, em ritmo baixo.